Defina aluno ideal

Antes de começarmos este texto, é importante notar que a definição de aluno ideal para nós não é o aluno que sempre tira notas altas, mas sim aquele que entende, reproduz e utiliza com habilidade e por um longo período os conhecimentos adquiridos. Partindo desta definição, creio que podemos então começar a descrever as seis principais características dos alunos campeões em aprender idiomas e como torná-las suas características.

1: Gosta de aprender novos idiomas

Esta parece óbvia, mas muitas pessoas estudam um novo idioma apenas por motivações externas, como um novo trabalho e promoções. Não se engane, até aqueles que se motivam a aprender por uma viagem podem estar se iludindo com motivações superficiais. Encontre pequenos objetivos alcançáveis a curto prazo e assim a cada micro-conquista, você se motiva e aumenta sua confiança. Um simples exemplo é definir um objetivo de se comunicar com alguém de determinado país através da internet. Assim, você começa a se sentir melhor e mais confiante com esta habilidade e se dedica mais para repetir a dose de bons sentimentos.

2: Motivado a aprender idiomas

A pessoa que se motiva a aprender algo, alcança resultados interessantes rapidamente. Diferentemente daquele que gosta de aprender, a pessoa motivada vê motivos para se dedicar diariamente e se dedica pensando no bom sentimento ou em situações positivas que cria a si próprio, seja ele por repetir uma viagem, se promover no trabalho ou até mesmo conquistar um amor estrangeiro. Por isso, se não gosta de estudar idiomas, descubra o que em sua vida melhoraria caso falasse um idioma e defina pequenas metas dentro deste objetivo maior, metas estas que farão você se sentir em progresso constante e melhor a cada estágio.

3: Comprometido a usar a língua nova diariamente

Assim como um jogador de futebol não fica melhor assistindo a jogos, um falante não melhorará seu desempenho apenas assistindo filmes e lendo textos na língua desejada. É preciso falar, errar, sentir e se aprimorar com os erros e cada experiência. Nossos alunos usam aplicativos de comunicação instantânea com estrangeiros para conversas diárias e também nos enviam resumos de textos e áudios com os quais interagem durante a semana. Assim conseguem ter feedback de quanto estão os entendendo e o que precisa melhorar.

4: Busca por diferentes formas de se expor à língua

Sabe aquele chato que se esforça para falar Inglês com quem fala e fica louco quando há um estrangeiro no recinto? Pois é, as chances dele de falar esta nova língua e ser compreendido nela são bem maiores do que as dos demais. É preciso se envolver na nova língua, passar por sentimentos bons e ruins através da língua para que o cérebro sintetize estas experiências e entenda que este código é uma forma de receber e transmitir sentimentos e mensagens que têm significado no Mundo real. Fale, fale e fale mais um pouquinho, sempre que puder!

5: Sabe aprender com os erros

Por vezes nos acostumamos à uma vida de sucesso (ou comodismo) onde erramos pouco e quando erramos, fingimos que não aconteceu ou não aproveitamos de tal erro. Com línguas, os alunos mais inteligentes aproveitam cada situação na qual erraram e questionam quem os corrige, para que o erro nunca mais aconteça. Esta é a forma mais saudável de lidar com erros: Perguntando, rindo e aprendendo.

6: Expõe suas dúvidas

Sabe aquele colega que você acha o chato da turma? Que sempre pergunta e às vezes até pergunta coisas que nem foram faladas ainda? Aquele que seu professor sempre diz “espere que ainda não cheguei lá”? Você precisa ser uma versão balanceada deste colega, pois ao expor suas dúvidas, você processa melhor seus pensamentos e passa a entender melhor ainda a resposta. Como sempre digo aos meus alunos, use a mentalidade daquela moça do zorra total que sempre dizia “Tô pagando!” Se você está pagando por um serviço de ensino, use-o ao máximo! Pergunte tudo que não entende. Se está interagindo com amigos e aprendendo por conta, pesquise e poste em fóruns e sempre que possível questione os amigos e colegas de conversação.

Conclusão

Sem dúvida não é fácil aprender um idioma ou sequer se adequar a estas qualidades mencionadas, mas com um guia como este você já pode começar a se policiar diariamente e criar metas de estudos! Espero que lhe seja útil.

Alan Dantas